a fuga

25/04/2008 at 23:30

Cinira, Horácio e Mug estavam adaptados, felizes, gordinhos, amados. Uma manhã cheguei da natação e dei pela falta da Cinira. Cadê? Nossa auxiliar doméstica da época me explicou que tinha esquecido o portão do quintal, a porta da área de serviço e o portão da rua abertos ao mesmo tempo (!), e que os 3 cachorros tinham fugido. Ela saiu correndo atrás deles, e conseguiu trazer de volta Horácio e Mug, mas a Cinira já tinha sumido…
Apavorada, liguei logo para minha mãe. Fui com os amiguinhos da vizinhança percorrer as ruas mais próximas, procurando a danada. Voltei para casa desolada e sem ela. No dia seguinte, a maratona de cartazes e caminhadas recomeçou. Não tinha completado 3 anos do sumiço da Pupu, e lá estávamos nós de novo naquela agonia.

Uma semana mais tarde, cheguei da escola e o clima em casa estava diferente. Nossa auxiliar doméstica estava eufórica. “Venha ver!” – e fomos até o quintal. Lá estava a Cinira, imunda, mais magra, com um pedaço de corda arrebentada amarrado ao pescoço. Abanava o rabo, enquanto bebia uma panela inteira de água. Perguntei como ela havia sido encontrada, e a moça respondeu: “Não sei, fui varrer a calçada e ela estava deitada na frente do portão. Acho que encontrou o caminho de volta sozinha.” Tirei a corda de seu pescoço, e fiquei abraçadinha com a Cinira por um bom tempo. Quando minha mãe chegou, demos um banho na fujona, e nesse dia ela dormiu dentro de casa, para observarmos se estava tudo bem. A julgar pelo monte de porcarias que vomitou antes do banho, foi um milagre não ter tido nenhuma complicação. Minha vira-lata amarela estava de volta, sã e salva, depois de uma semana de aventuras! E deste dia em diante, nunca mais ela quis passear na rua. Colocar-lhe uma coleira virou uma tarefa complexa, e ela só permitia se fosse eu a tentar. Mesmo assim, eram muitas tentativas antes de conseguir. De outras vezes em que o portão foi deixado aberto, ela jamais se aproximou, e da rua manteve distância sempre que pôde. Nunca soube onde ela esteve nem quem lhe colocou aquela corda no pescoço. Só sei que ela voltou bem, e isso me deixou muito tranquila e feliz.

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria. Tags: .

irritando a Shiva campanha


quem sou eu

a matilha

PitaPata Dog tickers PitaPata Dog tickers

mais recentes

no twitter

  • RT @victorfsvasc: O ano é 2020 e a fase 1764 da Lava-jato leva preso o algoritmo do STF, que, um dia depois, recebe um habeas corpus do Gil…:: :: 12 hours ago
  • RT @dantasprazeres: Ñ tem suspeição q o casamento que foi padrinho não durou 6 meses só ñ supera desculpa das fotos da neta do Napoleão htt…:: :: 1 day ago
  • RT @CalcinhasNoBox: Maria Alice quer jogar futebol mas o SESC não deixa. Precisamos da sua assinatura para ajudar Maria Alice https://t.co/…:: :: 1 day ago

(e o melhor, sem baba!) assine o blog e receba notificações de novas postagens por email

Junte-se a 4 outros seguidores

arquivo por data

o conteúdo deste blog é protegido!

Creative Commons License
This work by Bella (Isabella Neves) is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License Todos os textos e imagens devem conter referência ao autor e link para o post citado.

%d blogueiros gostam disto: